Bom, é isso, esculhambamos as meninas das Laranjeiras, 3 a 1, sem pena, sem dó e com a marra que todo ser superior precisa ter, afinal somos Flamengo e superioridade é nossa marca. Para os sofredores das três cores e sócios da camisa mais feia do Brasil (sim, sócios, pois metade do clube é da patrocinadora e a outra metade é que pertence a Florminense) resta lamentar e esperar a eliminação mais que certa na Libertadores.

Já sobre o Mengão, sinto que pelas muradas adversárias já existem comentários de que o Gigante acordou e que agora voltou para doutrinar todos àqueles que um dia acharam que o maioral estava morto.

Sobre a peleja de 90 minutos, que muito chamaram de aula de superioridade, destaque para Renato ‘Canelada’ Abreu, Jorginho e o nosso 10, Gabriel, que juntos conseguiram entender que Hernane não pode ficar armando jogada e que basta tocar a bola que uma hora ela chega à área adversária com plenas chances de ser chutada para o gol.

Sobre Hernane, sei que pego um pouco no pé dele, mas não podemos ir do inferno ao paraíso, muito menos o inverso, mas ele é limitado, nós sabemos. Para compor um grupo, é o jogador ideal, mas para compor a vestimenta dos matadores de goleiros e carregar a 9, é fraco.

Elias jogou como um meia, fez seu papel muito bem, marcou e armou, parabéns para ele. Já o destaque mor, o cara que me fez ter esperanças de um mundo mais justo foi o jovem Gabriel. Meteram a 10 no garoto e ele jogou como se estivesse entre amigos, não sentiu a tonelada de responsabilidade que o manto possui e acabou com as meninas das Laranjeiras.

Agora, um recado para a Nação, vamos continuar apoiando os jogadores e esperando dias melhores, pois eles estão chegando.

Saudações Rubro Negras!

Contratações

Andam dizendo que a nossa super diretoria está atrás de Roque Santa Cruz, atacante Paraguaio, que fez sucesso na Alemanha, Inglaterra e agora atua no Málaga, da Espanha.

Bom, lembro-me dele nas partidas de Playstation e na hora de procurar um atacante no Championship Manager, é um bom reforço. Se vier para ganhar o mesmo que ganho no meu trabalho, será muito bem vindo, mas se a ideia for chegar na nossa querida Gávea com vencimentos maiores do que a Renda Bruta Mensal do “novo pobre”, Eike Batista, ai é melhor continuar com Hernane e sua incapacidade de fazer duas coisas ao mesmo tempo, por exemplo pensar e jogar futebol.

Humilhadas, assim que elas gostam
Rate this post

Ricardo Moura

Paixão muitas vezes não contida nesse coração Rubro Negro, Ricardo Moura é o Brasil, o sentimento poderoso de cada torcedor. Ele é Inenarrável, apaixonado por um time desmoralizado. Mas o que é moral no futebol?

Deixe uma resposta